O painel Mudanças Climáticas e seus riscos para o saneamento, teve moderação da professora Jussara Cruz e teve início com a fala do engenheiro Jan Janssen, abordando a Relação entre a gestão de resíduos sólidos e as mudanças climáticas e destacando a principal emissão do setor, o metano. Janssen falou sobre a tendência no Brasil de encerrar lixões para a construção de aterros sanitários; a extensão da cobertura as coletas e o compromisso de redução das taxas de emissão de metano. O engenheiro apresentou também as experiências alemãs, como a regulamentação sobre embalagens com altas metas de reciclagem e responsabilidade do produtor.
O engenheiro Carlos Eduardo Tucci abordou o tema Mudanças climáticas e sua relação com a crise hídrica e as enchentes, destacando a gestão de riscos em recursos hídricos, como o desenvolvimento urbano, a energia, o transporte, o desenvolvimento rural e os desastres “naturais” ligado à água. Tucci comentou também sobre os riscos hídricos, como a vulnerabilidade social, econômica e ambiental, a variabilidade climática natural e mudanças climáticas, o impacto do desenvolvimento econômico e social sobre os sistemas naturais e a variabilidade hidrológica e climática.
O engenheiro agrônomo Charles Carneiro falou sobre as Mudanças climáticas e seus impactos no saneamento, abordando a necessidade de ações integradas para salubridade ambiental; as implicações do aquecimento sobre a água de consumo; as modificações pluviométricas, temperatura e nível dos mares; as intensidades pluviométricas; os efeitos da urbanização no comportamento hidrológico e também o efeito do saneamento nas mudanças climáticas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *