Na manhã desta quarta, 03, ocorreu o primeiro painel do 11º Simpósio Internacional de Qualidade Ambiental, que discutiu o tema A gestão de riscos e os avanços na proteção ambiental e teve como moderador o professor Luiz Carlos Pinto da Silva Filho.
O engenheiro Luiz Antonio Bressani abordou a Gestão de riscos geotécnicos – escorregamentos de terra, explicando alguns tipos de mecanismos, como os escoamentos laterais, quedas e rolamentos de blocos de rocha, deslizamentos rotacionais em margens de rio, entre outros, e também como antecipar estes movimentos. Bressani também destacou a classificação dos solos, conceitos e legislação do gerenciamento de risco e sobre a importância da educação da comunidade sobre os processos. “Não adianta uma legislação se a população não está junto com o que está acontecendo, ela precisa ser informada dos processos, pois faz parte deles também”.
A advogada Margareth Bilhalva falou sobre o tema Mudanças na legislação e avanços na proteção ambiental abordou os princípios de vedação e retrocesso, como a modernidade reflexiva; o retorno das incertezas; as ordens de transformação e a influência política no Direito e nas políticas públicas. Margareth também citou a gestão de riscos. “Para a gestão de riscos funcionar, é preciso que o licenciamento ambiental esteja adequado com o estudo ambiental”.
A última fala do painel se deu com o tema Auditorias de Sistemas de Gestão Ambiental Baseada em Riscos, apresentado pelo engenheiro Felipe Lacerda Antunes, que destacou a necessidade de entender a mentalidade de uso, o que hoje ocorre sem planejamento e a importância de priorização da gestão dos sistemas e da implementação de ações para abordar os riscos e oportunidades e de ferramentas de planejamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *